FUGINDO DO SAL

| CACHOEIRAS

Quer sombra e água fresca? A Serra da Carioca tem tudo o que você precisa. Parte do Parque Nacional da Tijuca, aberta para todos, sem qualquer restrição.

Subindo a rua Lopes Quintas, no Jardim Botânico, até o final e virando a esquerda, também até o final, você estará ao pé da trilha que leva à Cachoeira dos Primatas. Leve um saquinho plástico para recolher seu lixo, pois é um lugar muito caro à cidade e aos moradores. Em um primeiro nível, há um pocinho. Seguindo, você dá num platô de pedra com uma ducha que parece brotar da rocha. Dá até para pegar um sol. Quem sabe encontrar os artistas de novela que moram por lá e não ficam tão bem sem maquiagem.

Seguindo pelo horto, está o caminho da Vista Chinesa. Ainda no meio das casas, antes de chegar na cancela dos vigias do parque, uma segunda trilha leva para a Caixa D’Água – o que nunca vou saber se é o nome oficial da cachoeira, mas é como todo mundo conhece. Já dentro da área protegida, duas cachoeiras, a da Represinha e a do Jequitibá. A primeira, engana os que passam pela estrada. Veem uma represinha lotada de gente e acham que é isso aí. Não se engane, há um caminho escondido à direita, pelo qual se sobe mato adentro.

A outra cachoeira tem esse nome por estar perto de um Jequitibá imenso com um buraco do meio, no qual é possível ficar em pé no interior da árvore. A entrada da trilha fica escondida no meio da estrada e os desavisados só a descobrem quando encontram um carro parado no meio do nada.

Na volta de qualquer um desses programas, coma o peixe crocante do restaurante do Dado – num sobrado antigo na Pacheco Leão, que não tem nome oficial e é conhecido assim mesmo – ou os arrozinhos da Jojö, do outro lado da rua. Aliás, esse é um lugar ao qual voltar numa quinta-feira à noite, no dia especial das ostras com champagne. Outra boa opção, logo na esquina seguinte, é o Do Horto.

Um dia, tente fazer o oposto. Vá na Escola do Pão da rua Gen. Garzon se encher de pães delícia no café da manhã antes de ir para alguma cachoeira. Há sempre a desculpa de fazer a digestão.

Atenção, é claro que em nenhum dos casos estamos falando de quedas de 20 metros ou de poços fundos de quilômetros de diâmetro. São humildes cascatas que ficam no meio de uma grande metrópole. Mas são mais do que o suficiente para refrescar a alma e alegrar o coração nos dias quentes de verão.




  • Loading
    http://www.ovodecodorna.com/wp-content/themes/ovocito-v3

    Seja da nossa turma.
    Cadastre-se!

    Cadastre aqui seu email

    X

    Seja da nossa turma.
    Cadastre-se!

    Cadastre aqui seu email

    X